sexta-feira, 23 de julho de 2010

POETTA MARULHO: PARDALZINHO

POETTA MARULHO: PARDALZINHO: "de MANUEL BANDEIRA O pardalzinho nasceu Livre. Quebraram-lhe a asa. Sacha lhe deu uma casa, Água, comida e carinhos. Foram cuidados em vão:..."

quarta-feira, 21 de julho de 2010

PARDALZINHO

de MANUEL BANDEIRA

O pardalzinho nasceu
Livre. Quebraram-lhe a asa.
Sacha lhe deu uma casa,
Água, comida e carinhos.
Foram cuidados em vão:
A casa era uma prisão.
O pardalzinho morreu.
O corpo Sacha enterrou
No jardim; a alma, essa voou
Para o céu dos passarinhos!

Petrópolis, 10-03-1943




Bandeira, o gênio!

Simplesmente lindo...

SAKKADA



A sua SAKKADA foi
perder tempo para
animar os navios de
vento e
teia. Mania feia a
sua SAKKADA de me
prender sem seguir o
verdadeiro motivo de
ser SAKKADA.



www.douglasfagundesmurta.com

DESCALÇO NO JARDIM BOTÂNICO


Tropeçar
faz parte
da aventura.


(2007)